PROSECCO

Conforme informações do jornal Bon Vivant de Setembro de 2009, a partir de 1º de Agosto, a uva Prosecco italiana, tradicional cepa branca utilizada na fabricação do vinho de mesmo nome,  passará a se chamar GLERA, nome como era conhecida na região do Friuli-Venezia Giulia. Além disso, a região demarcada entre Conegliano e Valdobbiadene foi promovida a DOCG (Denominazione di Origine Controllata e Garantita).
E a região demarcada para a produção de vinhos Prosecco IGT foi elevada a DOC e estendida até a áreas do Friuli, distantes mais de 130 km da região do Vêneto historicamente associada ao Prosecco.
Essa é uma medida regulamentar para evitar que produtores utilizem erroneamente o nome Prosecco para produtos que eram produzidos com essa uva e a partir de agora, as legislações italianas terão maior controle sobre o processo de fabricação deste espumante, caracterizando apenas os produtos feitos com a uva Glera na região demarcada como DOCG ou DOC.
Sendo assim, como já ocorre em Champagne, os espumantes italianos produzidos com a uva Glera serão comercializados como Prosecco se estiverem dentro dessa região e nenhum outro país poderá empregar este nome no rótulo de seus espumantes, inclusive o Brasil.
No BLOG VINHOS DA ITÁLIA, você encontra a matéria completa sobre a nova legislação.

VINHOS: Moscato d'Asti


O Moscato d'Asti é um vinho DOCG produzido principalmente nos distritos de Asti e, em menor proporção nas regões de Alessandria e Cuneo.
Sua regulamentação data de Novembro de 1977e sua produção restringe-se a 1000 km2
O vinho é doce e possui baixa graduação alcoólica, em torno de 5% e pode deve ser consumido como vinho para sobremesa.  Produzido através da uva  Moscato Bianco..
Se você quiser a ficha técnica deste vinho, basta Clicar aqui...

VINHOS: Espumante d'Asti



O Espumante d'Asti é um vinho espumante produzido na comuna de Asti no PiemonteItália.A zona de origem do Asti D.O.C.G. foi delimitada oficialmente em 1932.
É muito aromático, meio-doce e com baixa graduação alcoólica (6 a 7%). Ele se diferencia dos demais espumantes pelo fato da segunda fermentação não ser feita com o vinho pronto, mas apenas com o mosto no início do processo da primeira fermentação, que é interrompida por processo de resfriamento. Isso imprime ao Asti um sabor doce, único que lembra damasco e o suco da uva Moscato, originária do sudeste do Piemonte da qual é feito. Os espumates Asti, na sua maioria, não são safrados.
Asti é um pequena cidade, sede de uma província da região do Piemonte, no noroeste da Itália. Curioso que um dos Asti mais famosos no Brasil é feito em Alba e não em Asti, onde se inventou o processo de fabricação. A vinícola Fontanafredda, na região, é mais conceituada pelo seu Barollo do que pelo Asti.
Dentre os muitos Asti vendidos no Brasil, posso indicar um da Casa Martelletti, que por ser jovem e fresco, é um vinho gostoso de ser bebido e não se torna enjoativo.
Deve ser servido gelado entre 3 e 4 graus e deve ser consumido jovem
Se você quiser a ficha técnica deste vinho, basta Clicar aqui...

VINHOS: Espumante x Champagne

Você sabe qual a diferença entre Espumante e Champagne?

Pois vamos definir para vocês quais são estas diferenças para que não haja dúvidas na hora de comprar um destes produtos e não fazer feio.
Basicamente, os dois produtos acima são resultados da vinificação de uvas brancas e tintas (Pinot Noir e Pinot Meunier), em conjunto ou não e que passam por uma segunda fermentação, que pode ser em garrafa ou em tonéis de aço, totalizando um vinho alegre com maior ou menor intensidade de borbulhas (perlage).
A diferença básica consiste em:
O Champagne é produzido no vale de Rheims, França, sendo confeccionado com as uvas Chardonnay (Branca) e Pinot Noir e Pinot Meunier (Tintas). São feitos através do método Champenoise, processo esse que envolve a segunda fermentação na garrafa podendo demorar anos até que o produto fique pronto para consumo.
Esse processo é complexo, pois envolve o giro das garrafas em pequenas quantidades todos os dias, para que os sedimentos sejam depositados no gargalo da garrafa e depois a extração destes sedimentos através do congelamento do líquido que ficou "estocado" no bocal da garrafa e depois completada com o vinho base, processo esse que determina se o vinho será seco, meio seco ou doce.
O vinho Espumante, é um produto produzido em todas as regiões vinícolas do mundo. Esse tipo de produto pode ser produzido tanto pelo processo Champenoise ou pelo método Charmat, processo em que o vinho base fermenta pela segunda vez em tonéis de aço, tendo seu tempo de fabricação muito reduzido.
Hoje em dia, muitos produtos são feitos pelos dois métodos e a indicação no rótulo descreve o tipo de processo utilizado na fabricação. Mas por questões de legislação, somente os vinhos feitos em Rheims podem utilizar o nome de Chamapgne.
No Brasil, encontramos produtores que utilizam o método Champenoise na fabricação de seus produtos, o que lhe conferem prestígio e ,em alguns casos, reconhecimento internacional frente aos produtos franceses.
Agora é só escolher um dos tipos e festejar.
 

PUERTO VIEJO


Esta é uma das linhas de vinhos mais completas do mercado e com ótima relação custo-benefício. Os vinhos da Viña Requingua na gama de Reservas, produzidos sobre este rótulo tem um apelo visual muito forte devido ao seu rótulo ser talhado em um casco de carvalho e o produto dentro da garrafa é feito com controle técnico rigoroso e um fino acabamento. 
Produzido com as variedades de Cabernet Sauvignon, Merlot, Carmenére, Pinot Noir, Chardonnay e Sauvignon Blanc, é um excelente presente para pessoas de bom gosto e queiram apreciar a tipicidade de cada variedade de uva.

Estarei postando as fichas técnicas desta linha e aonde você poderá encontrá-lo na região.
Se você quiser saber quais os restaurantes que já possuem este vinho...Clique Aqui.
Se você quiser comprar este vinho para dar de presente ou simplesmente levá-lo para casa....Clique Aqui.

CHATEAU BELLEVUE MALARTIC BORDEAUX TINTO 2006

Pessoal, já postei a ficha técnica deste vinho no Blog VINHOS DA FRANÇA, no final da página.
Basta clicar e vocês terão uma breve informação sobre esse nobre produto.
Abraços...


Danilo Muniz

NOVIDADES: Novos vinhos Italianos Casa Martelletti!!

O 1º deles é o VINHO BARBIOLO ROSSO MONFERRATO DOC MARTELLETTI 2007.
produzido com um clone das uvas Barbera D'Asti e Nebiollo que lhe conferem estrutura e aromas únicos.



O 2º é o VINHO CHIANTI RAFFELLI DOCG MARTELLETTI 2007, produzido na Toscana.




E o 3º é o VINHO SANGIOVESE DI ROMAGNA DOC RESERVA SUPERIOR

VINHOS DO CHILE

Vinhos chilenos são, hoje em dia, a melhor relação custo-benefício, mas você sabe o porque?
Acessando a página Vinhos do Chile, você descobrir os motivos dessa notável e grande ascenção desse pequeno país.
E também, está descrita a ficha técnica do Toro di Piedra Cabernet Sauvignon 2007, ícone chileno da Vínicola Requingua.
Boa Degustação.....

Danilo Muniz

UVAS: Chardonnay

A Chardonnay é a grande dama das cepas brancas.
Uva francesa, mostra todo o seu potencial na região de Chablis, sendo a única uva utilizada nesta região e acrescenta frescor e acidez aos famosos vinhos da região de Champagne, em Rheims, França.
É uma uva extremamente adaptável, de alta graduação alcoólica.
Apresenta acidez moderada tendendo a alta, podendo ser envelhecida em barris, demonstrando traços de amanteigado, mas recomenda-se o consumo de vinhos jovens para esta casta, exceto nas regiões acima.
Tem como aromas melão, frutas secas, abacaxi, maçã em vinhos jovens e amanteigado e baunilha quando envelhecida em barris de carvalho.
É uma uva facilmente encontrada na Borgonha, Champagne, Espanha na região de Penedes (Região responsáel pela elaboração das Cavas), Austrália, África do Sul, Califórnia (EUA), Brasil, Chile, etc.
Vale a pena conhecê-la.

SUSHI VIN - Vinho para gastronomia oriental

O Sushi Vin é o primeiro vinho nacional com vocação para harmonização com a gastronomia oriental. Ele é produzido com 3 uvas: Chardonnay, Malvasia Bianca e Moscato. Este vinho é perfeito para combinação com sushis, sashimis, e tudo que envolve a culinária nipônica com elevado frescor, com ricos aromas cítricos e frutas leves. Na boca, mostra acidez equlibrada com vocação para pratos leves.
Deve ser servido em temperatura de 6 a  8 Graus. Diferente dos outros vinhos finos, esse produto é comercializado em garrafas de 500 ml. e em bag-in-box de 3 litros com durabilidade de até 30 dias após aberto, devido a sua maneira de acondicionamento.
Se você deseja introduzir este vinho em sua carta, acesse o Blog do DANILO MUNIZ.

UVAS: Merlot


Uva também francesa, com grande penetração na região de Bordeaux, entre no corte dos vinhos da região junto da Cabernet  Sauvignon e da Cabernet Franc, na composiçao dos vinhos de Bordeaux, principalmente St. Emillion e em corte para o Pomerol. Uva elegante, com casca escura, proporciona aromas de café, ameixas maduras, pimenta do reino.
Seus vinhos apresentam baixa acidez, textura suave e baixo nível de taninos, suculentos.
Aproveita bem o barril de carvalho, podendo envelhecer e mostrar vinhos com alta complexidade e estrutura.
Cultivada hoje na França, Estados Unidos, Chile, Argentina, Brasil. Na Espanha, além da produção em diversas regiões do país, as regiões de Navarra e Somontano são as principais produtoras de Merlot.

VINHO: Porto

Pois é pessoal...
Depois da Palestra de ontem, posso assegurar que falar sobre vinho do porto é muito gratificante, prazeroso e que atrai as pessoas, pois todos temos os nossos "Pré-Conceitos" e quando falamos sobre esse maravilhoso vinho fortificado, muitos deles caem por terra...
Então, aguardem, até sexta-feira estarei postando informações sobre os produtos, as regiões, as uvas, os tipos, etc...
Até lá...


Danilo

VINHO TORO DI PIEDRA: A Lenda





Reza a lenda que há muitos anos atrás, o proprietário da Viña Requingua, comprou um touro raro, forte, robusto e que faria o trabalho pesado diário na vinícola e o animal foi solto em um pasto cercado, ficando solto dentro das terras da empresa. Em determinado momento o touro desapareceu e nunca mais foi visto. Os trabalhadores da empresa procuraram pelo animal durante vários dias e nem sinal. Somente após alguns dias, no local onde o touro costumava ficar, foi encontrada uma pedra grande que nunca havia estado naquele local e supersticiosamente denominaram-na de "Toro di Piedra", local onde hoje nascem as melhores uvas da vinícola.
Para conhecer sua ficha técnica, acesse o Blog VINHOS DO CHILE.

VINHO: Mesa Real Tinto

Vinho de excelente custo-benefício.
A ficha técnica já está postada no Blog abaixo.
Se você quiser maiores informações sobre o produto, acesse PRODUTOS ou envie uma mensagem para DANILO MUNIZ que teremos o maior prazer em atendê-los....
A ficha técnica deste vinho já está no Blog dos Vinhos de Portugal.... É só entrar verificar e deixar seu comentário.


Danilo Muniz

CURSO: Novo Mundo x Velho Mundo

Vamos continuar com o nosso programa de aprendizado sobre vinhos falando um pouco dos países produtores e como estão separados na visão do mundo do vinho.


Antes de continuar o processo de informação e de definir o que são Novo Mundo e Velho Mundo, vamos definir aonde estão as zonas de plantação dos vinhedos.
Os melhores vinhedos, ou seja, as plantações de uva, para a produção de vinhos de qualidade crescem quase que exclusivamente nas latitudes 30º e 40ºN e entre os 30 e 40º Sul. As vinhas mais ao sul do mundo pertencem à Nova Zelândia, perto do paralelo 45. Isso porque nessas regiões as condições climáticas oferecem a quantidade perfeita de sol e chuva permitindo um bom amadurecimento da uva com os teores ideais de água e açúcar. Esse equilibrio somado à qualidade da vinha e do solo (terroir) é que torna o vinho melhor que em outros lugares do mundo.
Definidos os paralelos Norte e Sul aonde estão as vinhas, excetuando-se a região do São Francisco, que está situada no paralelo 8 Sul, podemos definir quais os paises estão encaixados no conceito de Velho e Novo Mundo.
No Velho Mundo temos os paises berços da civilização como a Grécia, a Itália, A França, a Espanha, Portugal, Hungria, Alemanha, ou seja, os paises com maior tradição e cultura no processo de vinificação.
O Novo Mundo abrange uma gama maior de paises, pois excetuando-se os paises acima que desde o início da civilização já vinificavam, os paises do Novo Mundo na sua grande maioria, começaram a sua estória com o vinho após as explorações e colonizações, sejam elas inglesas, portuguesas ou espanholas, italianas, francesas ou alemãs.
Dentre os paises do Novo Mundo temos o Brasil na região Sul do Brasil e agora decobrindo novas terras como em Santa Catarina e no Paraná, o Chile com a sua posição privilegiada no Oeste da América do Sul, a Argentina como seu clima quase desértico na região de Mendoza, o Uruguai com a sua uva emblemática francesa, a Tannat, e os demais paises que veremos mais adiante como Estados Unidos, onde o seu maior expoente é a Califórnia, a Nova Zelândia, a Austália, a África do Sul, e até mesmo a China que começou a produzir vinho há poucos anos e que ainda não é possível saber no que vai dar.
Sem contar o Canadá, que produz vinhos de uvas congeladas ou ICE WINE.
No próximo passo, estaremos falando sobre as uvas....
Até lá.

CURSO: O que é Vinho?

Muitas pessoas acham que sabem o que é vinho.
Ao serem questionadas, dizem: "É aquele docinho que eu compro o supermercado", ou " Adoro batida de vinho com abacaxi" , mas vinho, na sua concepção, nada mais é que o resultado da fermentação do  mosto de uvas, obtidos após a prensa de vários kilos de uva, fazendo com que o açucar das uvas sejam transformadas em alcool.
Apesar do vinho ser produzido de uvas, existem tipos específicos para a produção dos chamados vinhos de qualidade e outras que não são tão boas assim. Ao grupo de uvas usadas na produção de vinhos de qualidade da-se o nome de vitiviníferas e ao segundo grupo, uvas de qualidade inferior com pouca quantidade de açucar, dá-se o nome de não-viníferas.
As uvas que fazem parte do primeiro grupo são bem conhecidas, como: Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay, Malbec, Carmenere, Syrah, Sauvignon Balnc, entre outras.
Ao segundo grupo, já é mais dificíl identificar quais são as uvas que entram na composição do vinho, sendo que a mais conhecida delas é a uva Isabel, existindo também a Niágara, Bordô, etc.
Acima, temos uma foto de Cabernet Sauvignon, a mais difundida mundialmente.
No próximo encontro, falarei um pouco mais sobre a Cabernet Sauvignon e sobre as áreas plantadas mundialmente e sobre a diferença entre Velho e Novo Mundo.
Até mais....

UVAS: A Rainha das Uvas

A Cabernet Sauvignon é a rainha das uvas.
É a mais difundida uva vitisvinífera produzida no mundo, com extrema facilidade de adaptação nos mais diversos terroirs do mundo.
Acredita-se que seja originária na França, e tem sua melhor expressão na região de Bordeaux, sendo que esta região é a maior produtora desta uva no mundo, com área de aproximadamente 30 mil hectares.
Possui características próprias e muitas vezes similares em todas as regiões, com alguma variação em determinados locais.
Possui coloração rubi escura, aromas de cassis, ameixas, cerejas, menta, eucalipto quando não envelhecido e tabaco, baunilha, café, caramelo quando envelhecido em barris de carvalho.
Hoje é produzido em larga escala em diversos países, como Itália (Supertoscanos), Espanha (Vega-Sícilia), Portugal (Quinta e Palácio da Bacalhoa), Chile (Don Melchor, Almaviva) e muitos outros.
Como referências francesas podemos destacar: Chateau Margaux, Chateau Lafite, Chateau Haut-Brion, dentre outros. Produtos estes que podem atingir preços astronômicos, dependendo da safra, e da voracidade dos compradores internacionais e das notas dos especialistas do mundo do vinho.

CURSO: Curso básico de degustação de vinhos

A partir de agora, estaremos iniciando um pequeno curso de degustação de vinhos.
Será uma pequena ferramenta que ajudará a todos na hora de escolher um vinho, como harmonizá-lo, quais são as características das uvas, envelhecimento, nomenclatura dos rótulos, etc.
E se houver interesse em novos assuntos, basta indicar para que iremos atendê-los.
Bom divertimento....
Ocorreu um erro neste gadget